Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Despertar Cedo

Este blog mostra-te as melhores dicas sobre o dia-a-dia social e financeiro. Tudo para que nunca chegues atrasado!

Despertar Cedo

Este blog mostra-te as melhores dicas sobre o dia-a-dia social e financeiro. Tudo para que nunca chegues atrasado!

24.Nov.18

Bom dia Filipina, bom dia brunch!

Às vezes, ser pai significa que não posso sair até tarde. Outras vezes, que não posso sair cedo. Por mais que gostasse de sair de casa ao Sábado ou ao Domingo para ir comer um brunch, os miúdos têm uma religião nos desenhos animados que dão de manhã, preferem pão barrado com chocolate a qualquer quiche ou papa de aveia e, digamos, a nível financeiro também não é o mais perspicaz para uma família de 4.

 

Ou seja, aqui temos duas preocupações: a frustração, minha e da mãe, em não poder ir a sítios que gostaríamos de conhecer, em não poder marcar brunch com os nossos amigos; e a preocupação, a de que eles peçam todos os fins-de-semana “só uma vez, hoje é Sábado” pão com Nutella e outras guloseimas. Como é que podemos contornar isto? Tem que haver uma maneira.

 

Foi assim que comecei a pesquisar sobre receitas para um brunch saudável - mas guloso, capaz de tentar até o paladar mais exigente (leia-se, o das crianças). Primeiras sugestões: ovos mexidos, que eles adoram porque é “como o pequeno-almoço das férias”, manteiga de amendoim e hummus (com sticks de cenoura - desde que seja para comer com as mãos, eles gostam!).

 

Para o prato principal a Vanessa sugere uma quiche. Mas por aqui, como os miúdos não são fãs, fizemos uma tosta de abacate com ovo escalfado. Fica colorido, é saboroso… e demora menos tempo, porque toda a gente gosta de ficar na cama mais um bocadinho ao fim de semana, não é verdade? Claro que não fizemos muitos ovos mexidos de entrada para que cada pessoa não comesse mais do que 2 ovos numa refeição!

 

Agora a “sobremesa”. Aqui seguimos religiosamente a sugestão da Vanessa: iogurte com granola e frutos vermelhos. Todos gostamos de iogurte e foi uma boa maneira de fazer os  miúdos comer fruta disfarçadamente. A granola não foi caseira - não tivemos tempo - mas ficará para uma próxima, porque assim será sem aditivos e sem açúcares adicionados. E por falar em tempo… também não houve tempo para fotografias, comemos demasiado rápido!

 

1 comentário

Comentar post