Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Despertar Cedo

Este blog mostra-te as melhores dicas sobre o dia-a-dia social e financeiro. Tudo para que nunca chegues atrasado!

Despertar Cedo

Este blog mostra-te as melhores dicas sobre o dia-a-dia social e financeiro. Tudo para que nunca chegues atrasado!

28.Out.18

Encontrar novos talentos & criar empatia

 



Espero que o regresso à rotina tenha sido pacífico e que a alteração para a hora de Inverno não vos custe! Eu já estou com pé no acelerador até ao final do ano e a preparar os projectos para 2019! Mas entretanto, venho falar-vos de encontrar novos talentos, conhecer histórias & experiências diferentes das nossas e novos talentos portugueses.

 

Entre os best-sellers nas lojas dos CTT e as estreias nas lojas FNAC que ficam demasiado longe de casa, encontrar novos talentos nem sempre é tão fácil quanto deveria ser. Especialmente se não estiverem só à procura do romance de lágrima fácil ou de biografias das caras conhecidas da TV. É aí que entra o blog Des i - depois, em seguida, do Ismael Sousa e Amaro Figueiredo.

 

O blog partilha perfis de vários novos autores Portugueses, recém-publicados ou ainda por publicar. Um dos últimos posts é sobre João Geraldes, o jovem autor por detrás do novo livro (Des)Orientação. O livro relata a sua própria saída do armário, os danos que a homofobia e a transfobia provocam na comunidade LGBT.

 

Conhecer os outros é perceber a sua experiência, é o primeiro passo para ter empatia. Devemos entender que os “outros” são como nós, têm inquietudes como nós e sonhos como os nossos. A melhor forma de o fazer é ler, ouvir a história do “outro” e reavaliar o que fazemos e como actuamos no nosso dia a dia. Qual é que foi o último livro que leram e que vos fez pensar em alguma coisa que nunca vos tinha passado pela cabeça?

 

Se tal como eu estão sempre à procura de conhecer perspectivas diferentes e estar a par dos novos talentos portugueses, então vale a pena seguir o blog! (Podem também seguir o blog do próprio autor, o homónimo Ismael Sousa. É lá que partilha a sua prosa poética, divagações e inspirações. Se não conhecem, dêem uma vista de olhos.)

 

16.Out.18

Música para espantar os males

Não há nenhum mal que a música não cure. A música é uma das poucas coisas universais, capaz de nos emocionar ou alegrar mesmo numa língua que não conhecemos. Não é por acaso que até as sondas espaciais que procuram vida noutras zonas da galáxia levam músicas. É uma das maiores façanhas da nossa espécie - embora não sejamos a única a desfrutar de música porque, de acordo com alguns estudos, vários primatas reagem à música dos Beatles. Curioso, não é?

 

 

Quando estamos tristes, ouvir música pode ser uma forma de levantar a moral. Ou não. Às vezes, quando estamos tão mal que é impossível pensar no som de uma gargalhada, também é a música a única coisa capaz de nos acompanhar. Em toda a minha vida só conheci meia-dúzia de pessoas que não ouvem música, e nunca consegui perceber como é que vivem. Como é que será a vida no silêncio, sem ritmo?

 

Por outro lado, muito mais do que meia-dúzia dos meus amigos ou conhecidos só ouvem música em inglês. Ou, melhor dizendo: só meia-dúzia ouvem música em Português. Parece que “não há nenhuma banda que goste” e que “em Português soa pior” são desculpas válidas para se abstrair do país em que vivem. Mentira: em Portugal há grandes músicos, e só não há mais por falta de apoios e interesse em desenvolver determinados estilos.

 

Portugal tinha, por exemplo, uma cena metal relativamente desenvolvida para o tamanho que temos. Mas temos poucos apoios; apenas um ou dois festivais e poucos bares ou salas onde tocar. Não é tão rentável para os donos como ter um bar de copos. Quantos menos há, menos bandas se formam. Menos output vai existir. É um ciclo vicioso, como se costuma dizer.

 

Mas para provar que a música em Portugal ainda tem vida, sigam o blog da Cátia. Estudante (mestranda) de Jornalismo e Comunicação, fala, divulga e entrevista dezenas de bandas e artistas portugueses para o seu cantinho da web. Algumas são pouco conhecidas, é certo. Mas já pensaram bem no que seria da música sem o mundo indie?

 

05.Out.18

Ser mãe ou pai é o melhor do mundo, mas também é o mais difícil

 

A maternidade é uma das melhores coisas que pode acontecer a qualquer pessoa, mas nem todos os momentos da maternidade/paternidade são perfeitos. É preciso muita paciência, um nariz de ferro e saber rir de tudo. Em nome desta honestidade, deixo-vos aqui três blogs de mamãs que não deixam nada por dizer!

 

Blog da Mafalda

Uma mãe e uma filha nos terrible two. Habituá-la a dormir no próprio quarto, dar as vacinas, levar a fazer análises pela primeira vez. Nesta altura, tudo é uma descoberta e uma aventura. O que significa que também nem tudo é fácil. A mãe Ana faz-nos confidências sobre esta nova fase da sua vida junto à Mafalda, a grande protagonista do blog.

 

First baby trip

A Gracinha é uma mãe de segunda viagem e tem dois filhos. Pelo meio já viajou (literalmente), já recebeu chamadas inesperadas de outros pais, passou muitas noites em claro e teve que habituar ambos os filhos a dormirem sozinhos. Perante este cenário familiar, o título do blog não podia ser melhor: estado de (des)graça. Com quantos posts se conseguem identificar?

 

Creme Pimenta

O último blog que quero destacar nesta lista é o Creme Pimenta. Nada resume melhor o espírito do blog do que o início deste post: “há dias em que me apetece rifar as miúdas. Dias cansativos, que começam com guerras e berros pela manhã. Dias chatos. Mas depois também há dias melhores (...) Sem choro ou birras. E depois há momentos especiais. Como pedirem a mão uma da outra numa viagem de carro. Os beijinhos e abraços inesperados.”

 

Quem mais faz um voto de honestidade sobre a maternidade? Quantas vezes é gostavam de poder fazer uma pausa e ter dois dias sem choro ou birras? Desabafem nos comentários!